17 de jul de 2008

Massa, tinta acrílica e papel sobre tela 1.00m x 1.80m


Pare tudo ao entardecer
Não importa o que tiver pra fazer
Veja o Sol se pondo no mar.
Ria sem motivo
pinte um quadro
veja desenho animado
e se apaixone de verdade por alguém.
Faça Valer
Rub

...é que quando amo, amo intensamente. Sou inteira mesmo sendo como é. Amo verdadeiramente, por que se não fosse assim não seria amor. Não sei como, mas é um sentimento honesto. O amor pra mim é a generosidade, porque um se dá ao outro. Não tenho medo de amar, mas tenho (apesar de inevitável) medo de sofrer...



Se não puder sentir o peso do seu corpo,
A força do seu abraço,
A segurança do seu olhar
E a delícia do seu beijo,
Pode pedir reforços
Pois vou reunir os índios selvagens,
Fiéis ao meu reino
E vou invadir esse lugar!


.




...e o tempo é só meu, e ninguém registra a cena, de repente vira um filme, todo em câmera lenta, e eu acho que eu gosto mesmo de você, bem do jeito que você é...


Equalize
Pitty

13 de jul de 2008

Fico mais à vontade quando não paro de me movimentar. A atividade física tem sido minha melhor companheira. Não há lugar pra delicadeza nenhuma, mas mesmo assim consigo ser, mais que em qualquer lugar, muita delicadeza.




Como na minha vida não consigo exteriorizar certos sentimentos, o faço com os quadros.
Gosto desse resultado. O da surpresa.
A revelação de um temperamento aparentemente acomodado ou apático em alguém intranqüilo.



Seu sorriso se sobressaiu e ele também ficou com o olhar atento. Nunca, que eu me lembre, fui tão querida e desejada. Quero poder dizer amada. Esta tudo começando agora.

2007



Gosto tanto das imagens e das cores. Gosto dos significados que elas têm.
Gosto da beleza e da gentileza.

EXPOSIÇÃO PINTURA E COLAGEM

Massa, tinta acrílica e papel sobre tela 1.20m x 1.60m


2005

...Vou lhe contar a história desses quadros.

Massa, tinta acrílica e papel sobre tela .90m x 1.00m

2005

...o foco principal e impulso, foi a coragem de partir para um tema. Um determinado assunto que gerasse a necessidade de discussão e gerasse especulações sobre os verdadeiros significados. O mistério pra mim é importantíssimo, mas talvez revele mais do que realmente gostaria.

Pinacoteca da UFAL- Unversidade Federal de Alagoas - 2006

...quando você olha um quadro meu e diz qualquer coisa, sinto-me extremamente vaidosa, por simplesmente ser alvo de alguma crítica. Muitas vezes você revela algo que eu, nem de longe percebia.



...os faço numa espécie de transe. Formam-se de um mistura de gosto pessoal, admiração por certos partes de corpos ou de fotografias. Olhares, bocas, sorrisos, pés, pernas,roupas, objetos, ...

...acho que uma vontade imensa de falar sobre ou tocar em todas aquelas coisas me faziam eleger essa ou aquela figura...
...uma vontade, uma história ou uma ironia. Isso começa equilibrado e coerente e vai se tornando pouco...
...acho que vou criando uma euforia.

CABEÇA PRA BAIXO, ALMA PRA CIMA




Aprendendo a ser forte

“Depois de algum tempo,
você aprende a diferença, a sutil diferença
entre dar a mão e acorrentar a alma.
E você aprende que amar não significa apoiar-se,
e que companhia nem sempre significa segurança.
E começa a aprender que beijos não são contratos
e presentes não são promessas.
E começa a aceitar derrotas com a cabeça erguida
e os olhos adiante com a graça de um adulto,
e não com a tristeza de uma criança.
E aprende a construir todas as suas estradas hoje,
porque o terreno do amanhã é incerto demais para os
planos, e o futuro tem o costume de cair em meio ao vôo.
Depois de um tempo,
você aprende que até o sol queima
se você ficar exposto por muito tempo.
Portanto, plante seu jardim e decore sua alma
em vez de esperar que alguém lhe traga flores.
E você aprende que realmente pode suportar...
Que realmente é forte e que realmente tem valor...”

William Shakespeare





Meus quadros não tem título, só significado.

12 de jul de 2008

15- Massa, papel e tinta acrílica sobre tela 1.20cm x .80cm


2005

Primeiro de uma série adorável de fazer. É da minha irmã e das minhas tias amadas de Roseira- SP. E hoje está na casa da minha infância. A casa do sonho perfeito.

2007

...só quero viver o agora, sabendo que o prazer e a dor terão fim...



Pras minhas filhas e sobrinhos faço esses quadrinhos. Fico pensando neles e na minha cabeça só tem pontinhos coloridos. Fico tentando pegar e quando consigo vou pedindo ao pincel, que grave na tela esse pontinho pra juntar com outro pontinho. Assim, posso lhes dar um monte de coisa boa que nunca vai acabar.

Aquarela


2002

Já morou em minha casa, hoje na de minha irmã. Lá também tem sofá e mesa de canto. Tem cadeira, panela e geladeira. Uma moça bonita, um rapaz mais ainda. E uma sapeca que é a coisa mais linda.Tem também gente querida, jardim com flor e amor.



2002

Essa moça bonita completou essa cena.
Se estivesse parada não seria melhor, se estivesse correndo já teria passado.
A imagem do quadro de 15 minutos,
fica grata pela sua sombra discreta do exato segundo.

Aquarela


.

14- Acrílico sobre tela 1.20cm x 1.60cm


2002


-



Foto Gabriela Barreiros

...tudo isso pra dizer que não me canso de dizer que te amo...

13- Acrílico sobre tela 1.00m x 1.20m


2004

12- Massa e tinta acrílica sobre madeira .60m x .90m


2001


Desenho de Beatriz Barreiros

Num dia triste de chuva
Foi minha irmã quem me chamou pra ver
Era um caminhão, era um caminhão
Carregado de botão de rosas
Eu fiquei maluca
Por flor tenho loucura, eu fiquei maluca
Saí
Quando voltei molhada
Com mais de dúzias de botão
Botei botão na sala, na mesa, na TV, no sofá
Na cama, no quarto, no chão, na penteadeira
Na cozinha, na geladeira, na varanda
E na janela era grande o barulho da chuva
Da chuva
Eu fiquei maluca
Eu fiquei maluca
MALUCA - Luiz Capucho

Tem horas que tenho vontade de sair voando.

2008

Até bem pouco tempo o vermelho era a primeira cor a colocar na tela. Quase vira superstição.

11- Acrílico sobre tela 1.00m x 1.20m


Aquarela sobre papel .29m x .20m

Quem sabe eu ainda sou uma garotinha
Esperando o ônibus da escola sozinha
Cansada com minhas meias três quartos
Rezando baixo pelos cantos
Por ser uma menina má
Quem sabe o príncipe virou um chato
Que vive dando no meu saco
Rezando baixo pelos cantos
Por ser uma menina má.
.
Quem sabe a vida é não sonhar
Eu só peço a Deus
Um pouco de malandragem
Pois sou criança
E não conheço a verdade
Eu sou poeta e não aprendi a amar
Eu sou poeta e não aprendi a amar
Bobeira é não viver a realidade
E eu ainda tenho uma tarde inteira
E eu ando nas ruas
Eu troco cheque
Mudo uma planta de lugar
Dirijo meu carro
Tomo o meu pileque
E ainda tenho tempo pra cantar

Pra cantar
Eu só peço a Deus
Um pouco de malandragem...



2004

Tenho empenhado meus esforços em me transformar na pessoa que desejo.


Evoluída e completa!

10- Acrílico sobre tela .80m x .90m


2001

9- Acrílico sobre tela 1.00m x .90m


2004

11 de jul de 2008

8- Acrílico sobre tela 1.20m x 1.40m


2004

7- Massa e tinta acrílica sobre madeira 2.00m x .80m



2000

2007

Demorou o dia em que aceitei ser artista. Fui tudo, muito mais longe disso. Simplesmente ser artista era grandioso demais pra mim. Passei a me sentir grande.
Quero que a pontuação permita que tenha a chance de ser interpretada de várias formas. Quero ter a chance de estar certa em algum momento da minha vida. Talvez somente a compreensão de alguém. Preciso de mais o que? Sou sonhadora e vivo meio no mundo da lua. Passariam muitas páginas pra poder me descrever. Sou artista plástica. Me convenci que sou. Estou louca de saudade do meu amor. O que tenho de melhor está dentro de mim. Nada mais. Não é muita coisa que posso dar ao mundo. Só eu mesma. Minha paciência, minha alegria, minha compreensão, minha vontade de que tudo dê certo.

VIA AFIRMATIVA






...É preciso reconhecer que se trata de uma pintora "em excesso". Isto é, existe nela uma vontade uma "vontade de transcendência" que se pratica fora da discussão do que seja de " bom gosto " em arte. Este impulso satisfeito acaba produzindo um "plus " de expressão, um "algo além " ou uma "desmesura ", que dispensa justificativa.
Sua pintura não busca apoio fora da plástica que é aquilo que ela tem de si. Daí que os elementos ditos "figurativos , principalmente a recorrente e arriscada temática floral, são "arrancados" do campo semântico tradicional: todo discurso sexista que situa a flor no universo da feminilidade. Nisto é que vemos o "excesso" de uma poética a recusa ao senso comum, o enfrentamento dos estereótipos da "fragilidade" e da "delicadeza" da mulher, e da liberação das pulsões pela via afirmativa do pintar.

Francisco OITICICA-FILHO